Plantando com tecnologia, colhendo bons resultados

Essa firma é uma história de família e para mim, lidar no meu trabalho, é muito gratificante.


""

Publicado em 29 de outubro de 2020 - 14:46 horas - Somos Todos Imasa


Estou na Imasa há seis anos. Minha história com a empresa é longa e começou quando vim morar em Ijuí, quando eu tinha 11 anos. Morávamos no interior e meu pai resolveu vir para a cidade. O primeiro e único emprego dele foi aqui, na Imasa. Alguns tios e irmãos também trabalharam na empresa, então temos uma história de família aqui dentro. No dia em que me ligaram eu comecei a chorar de tão faceira e feliz que fiquei. Tinha um macacão do meu marido lá em casa, peguei e o vesti, antes de ser contratada aqui. Até hoje, guardo uma foto desse momento. Quando a Imasa começou a contratar mulheres, eu falei para meu marido e minha família que queria tentar um emprego aqui. Eles me apoiaram, mas muita gente disse que não ia ser fácil e eu ouvi muito “mas Izabel você faz serviço de casa, como vai trabalhar lá? Como vai ir em dias de chuva? Quem vai fazer a comida?”. Mas eu estava decidida Eu costumava fazer viandas, inclusive para os guardas da Imasa. Meu marido estava procurando emprego e, mesmo sem experiência ele tentou um cargo aqui. Descobrimos, através de um vizinho, que estavam dando um curso de solda MIG na Escola 25 de Julho. Ele fez o curso, e está aqui há uns 20 anos.

Quando entrei aqui, eu não sabia quase nada, pois foi uma grande mudança. Eu ia ajudando a limpar, a organizar as peças em cada caixa, e separar essas peças conforme o tamanho. E depois, me colocaram no setor de montagem. Entre erros e acertos, e com a ajuda dos colegas, fui aprendendo tudo que sei hoje. Monto a parte dos rodados, o rolamento, os pneus, suporte para as rodas, a parte do mancal e também trabalhei com as caixas das máquinas, onde vai as sementes, e em retoques dos equipamentos. A quantidade de rodados varia de uma máquina para outra, algumas vão 8, outras 29, tudo depende do tamanho do equipamento. Eu sempre prestei atenção em tudo, e quando via que alguma coisa não dava certo, eu chamava os chefes ou os colegas pra me ajudar. E ainda chamo para não dar nada errado. Há respeito entre nós. Fizemos várias brincadeiras para nos distrair um pouco e  para deixar o clima de trabalho leve entre todos.

Um momento que me marcou era vir pra cá com minha filha e meu genro que também trabalharam na Imasa, durante 6 e 8 anos. Eles se conheceram aqui e isso foi algo que marcou para ela também. A gente não tem carro, então são quatro “viagens” à pé que a gente faz todo dia para vir trabalhar. Tenho 55 anos e alguns problemas na coluna, mas eu amo trabalhar aqui. Essa firma é uma história de família e para mim, lidar no meu trabalho, é muito gratificante. A Imasa me completa, essa firma é tudo de bom, as pessoas são gente boa. Eu venho feliz da vida para o trabalho e é como se fosse uma casa pra nós.

Até hoje, meu pai elogia muito a Imasa, pois daqui saiu o sustento para uma família de 12 filhos.  Assim como eu e meu marido, que conseguimos financiar uma casa através do dinheiro de nosso trabalho aqui na Imasa. Meu pai viu uma das edições d'O Bigorna, sobre o Dia das Mulheres, e chorou muito de orgulho por me ver nessa edição.

Ele conta que tinha muita gente quando ele entrou aqui e hoje é diferente, mas a gente não tem palavras pra definir a satisfação que é trabalhar para essa empresa. Às vezes eu vou pra casa de macacão, mesmo sujo, porque pra mim é um orgulho.

Fui a última mulher que entrou aqui, mas se outras mulheres tem vontade de trabalhar com esse setor, aqui na Imasa tem espaço. Somos bem respeitadas aqui dentro, basta ter vontade e coragem. Eu gosto de tudo que eu faço. Ainda gosto de cozinhar e faço muitas coisas em casa, principalmente nos finais de semana. Faço bolo, pé-de-moleque, pão, bolachas e outras coisas que o pessoal gosta. Mas pra mim, vir aqui pra Imasa, começar a trabalhar aqui, foi uma maravilha. É uma história de família, que vem de geração em geração. E eu amo trabalhar aqui. Amo a Imasa. Só temos coisas boas pra falar sobre a empresa e enquanto eu tiver força e saúde, quero continuar aqui.